EAD

Educação a distância é preferência para formação tardia

0

Há algum tempo, a menção da expressão “estudantes universitários” levava o pensamento diretamente a um grupo de jovens, recém saídos do ensino médio e com tempo de sobra para se dedicar à experiência do curso superior. No entanto, essa realidade vem mudando pouco a pouco, pois, com a popularização da educação a distância, cada vez mais adultos retomam os estudos ou começam uma graduação após já estarem inseridos no mercado de trabalho. A procura pelo ensino online se justifica, entre outros motivos, justo pela falta de tempo para conciliar o trabalho e a presença em uma instituição. Além da possibilidade de horários flexíveis, também são fatores determinantes para a escolha da EAD a autonomia proporcionada e o empoderamento do aluno, uma vez que esse tipo de ensino o permite ser agente ativo da própria formação. E essas características são extremamente atrativas para o perfil do estudante mais velho.

Cada vez mais, adultos retomam os estudos e graduam-se tardiamente graças às possibilidades da EAD. Fonte: Linfield College

Cada vez mais, adultos retomam os estudos e graduam-se tardiamente graças às possibilidades da EAD.
Fonte: Linfield College

De acordo com pesquisas realizadas nos Estados Unidos, atualmente, os adultos representam 38% dos alunos e são a população em maior crescimento no ensino superior. Além disso, as pessoas que retomam os estudos costumam ter um retorno maior sobre seu investimento educacional, na comparação com os estudantes tradicionais, que ingressam na universidade logo após o ensino médio. Dentre os motivos destacados pelos chamados adult learners (aprendizes adultos, em uma tradução livre) para voltar a estudar estão o crescimento pessoal, a possibilidade de aprender coisas novas e estar sempre atualizado no mercado de trabalho.

No Brasil, a mulher de cerca de 30 anos e que trabalha é o perfil padrão mais comum dentre os alunos de cursos superiores a distância. Além disso, cerca de 85% dos estudantes desses cursos dividem o tempo entre o trabalho e os estudos. As estatísticas reforçam a ideia, portanto, de que a EAD é a escolha principal de pessoas que têm uma vida estruturada e que, provavelmente, acreditavam que não seria possível encaixar um retorno às lições em sua rotina. No entanto, os mesmos números apontam que está crescendo o número de jovens que buscam o ensino online para sua formação superior. Seria a EAD também a principal escolha dos nativos digitais?

Previsões dão conta de que, em cinco anos, os números referentes à modalidade podem dobrar no Brasil, em termos de demanda e oferta. Além disso, uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) apontou que 79% das pessoas com mais de 16 anos acreditam que a educação a distância é a solução para ampliar o acesso universal à educação. E eles estão certos: a EAD facilita não apenas a entrada no ensino superior, mas também a conclusão do ensino médio.

A falta de tempo e a necessidade de jogar com os horários são determinantes para a escolha do ensino online.  Fonte: And You

A falta de tempo e a necessidade de jogar com os horários são determinantes para a escolha do ensino online.
Fonte: And You

Questionamentos acerca da integralidade do aprendizado via internet surgem a todo momento. Há quem considere que essa formação seja mais instrumental do que realmente emancipatória, uma vez que algumas das experiências educacionais podem ser perdidas, como a vivência da rotina universitária ou escolar na instituição de ensino. No entanto, a incessante busca por inovação e os constantes debates ocorridos no campo do EAD procuram minimizar as carências do meio digital em relação ao meio físico, procurando reais mudanças nos meios de aprendizagem e integrando o ensino à realidade do aluno por meio de redes sociais, além do uso de ferramentas como vídeos e plataformas adaptativas.

Mesmo com todas as possibilidades apontando para o sucesso da empreitada, algumas pessoas podem encontrar dificuldades, receios e dúvidas ao retomar os estudos ou tentar uma graduação tardiamente. Sobre isso, o site Education Corner fez uma lista com os possíveis medos que as pessoas que retornam a estudar podem precisar enfrentar:

Adaptação: a questão aqui se refere, essencialmente, à convivência com alunos mais jovens e seu estilo de vida distinto.

A questão do tempo no dia a dia: um dos maiores impeditivos para quem quer voltar a estudar é o risco de não conseguir conciliar trabalho e estudos e ainda ter tempo livre ou para dedicar à família.

Projeto a longo prazo: sem dedicação integral, quanto tempo levará até a finalização do curso?

Credibilidade da educação: muitas pessoas acreditam que diplomas não adquiridos nas instituições mais tradicionais não serão levados a sério por empregadores, mas isso não é verdade.

O valor do aprendizado: é comum ao futuro novo estudante se questionar se tirará algo de realmente valioso de uma graduação tardia.

Dúvidas e receios podem surgir na hora de retomar os estudos ou começar uma graduação na idade adulta.  Fonte: Kieu Viet

Dúvidas e receios podem surgir na hora de retomar os estudos ou começar uma graduação na idade adulta.
Fonte: Kieu Viet

Essas questões são extremamente naturais para quem retorna à universidade ou à escola depois de algum tempo. E, para que sejam contornadas, é preciso tomar consciência deles, em primeiro lugar. Porém, nem tudo são receios, o site ainda reuniu uma série de bons motivos para motivar os adult learners, tais como: chance de promoção no emprego atual ou de uma de mudança na carreira; possibilidade de demonstrar aos filhos a importância da educação; e a ideia de educar-se para poder abrir seu próprio negócio, saindo da posição de empregado para empregador.

É interessante notar, porém, que a maioria das questões elencadas, além de extremamente realistas, são resolvidas ou, pelo menos, minimizadas com o ensino pela internet. E isso explica por que a EAD, embora venha se popularizando ainda mais entre os mais jovens, ainda é a opção número um de quem está voltando à ativa após alguns anos. E é por isso que seus números tendem a crescer tanto em um futuro próximo.

E você? Acredita que o ensino online é uma chave para ampliar o acesso à educação e não somente à superior? Compartilhe sua experiência conosco. E não deixe de assinar nossa newsletter.

 

 

 

 

 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.