Capacitação DocenteEdTech

O que você precisa saber sobre adaptive learning

1

O conceito de adaptive learning é amplo. Ele abrange todo o conjunto de tecnologias e técnicas utilizadas, dentro da área da educação, para propor a cada aluno um ensino personalizado. As plataformas adaptativas são softwares que propõem atividades diferentes para cada estudante, a partir da observação e da coleta de dados sobre sua performance, suas respostas e suas reações diante de tarefas. Por exemplo, o programa pode oferecer ao aluno um reforço sobre algum conteúdo no qual ele demonstrou dificuldade ou, ainda, repetir alguma questão que foi respondida corretamente após um intervalo, para garantir que o acerto não foi um golpe de sorte.

Esse tipo de ensino apresenta diversas vantagens, uma vez em que enfoca nas maiores dificuldades do aluno, gerando uma aprendizagem mais efetiva e homogênea. Por outro lado, existem questões que devem ser levadas em conta antes da implantação dessa ferramenta em uma instituição de ensino.  O site e-Literate fez uma listagem com os bons e velhos prós e contras a respeito do ensino adaptativo e suas aplicações na educação.

Nem todos os alunos são iguais, e o ensino também não precisa ser. FONTE: Talk act positive

Nem todos os alunos são iguais, e o ensino também não precisa ser.
FONTE: Talk act positive

Pelo lado positivo, o uso de uma boa plataforma adaptativa pode substituir a educação tutorial. No caso, seria como se cada aluno tivesse seu próprio tutor sempre disponível para sanar suas dúvidas e propor tarefas adequadas para a sua necessidade. Essa nova configuração certamente traria mudanças no modo de ensino da instituição. E cabe ao gestor questionar quais seriam essas mudanças. Por exemplo: como seria distribuído o tempo de aula, visto que a plataforma pode promover o reforço de conteúdo? A que questões os professores devem dedicar mais tempo? A aula se tornaria um espaço mais reflexivo e menos expositivo? As plataformas adaptativas trazem consigo as mais variadas possibilidades. Para que sua utilização seja adequada, cada instituição deve ser capaz de responder essas (e muitas outras) perguntas, a fim de perceber não apenas quais são suas necessidades no momento, mas que outras demandas e soluções surgirão a partir da adoção do adaptive learning.

No entanto, apesar de resultar em inegáveis vantagens, o uso das plataformas adaptativas exige pensamento crítico. É preciso saber exatamente o que o programa é capaz de fazer e ter consciência de que suas habilidades não são mágicas, e que não há nada que a plataforma faça que um educador não possa fazer a partir de uma perspectiva pedagógica. Da mesma forma, é necessário ter em mente que os resultados apontados pelo software podem não ser totalmente precisos. Como ocorre com todos os tipos de ferramentas de pesquisa, nem todas as informações buscadas são totalmente relevantes. Também é sempre importante evitar cair na armadilha de deixar que conteúdos importantes sejam reforçados unicamente pela plataforma ou acreditar que a boa educação será totalmente quantificada e qualificada pelo computador.

As plataformas adaptativas, porém, vieram para ficar. Ao gestor cabe manter uma postura reflexiva sobre os usos dessa ferramenta e uma mente aberta para as possibilidades que ela traz consigo. A criação e difusão de conteúdo continuarão sendo papel da instituição, e isso é insubstituível. E, com o bom uso desses softwares, educadores e gestores podem ter mais tempo livre para dedicar ao que sabem fazer melhor.

A Kroton Educacional lançou, em 2013, um projeto-piloto de ensino adaptativo e, em 2014, está lançando mais três projetos nessa linha, aumentando o alcance da iniciativa. Adélia Martins de Aguilar, especialista em tecnologias e gestão educacional daquela instituição, foi uma das palestrantes do Encontro de Lideranças Desafios da Educação: Edição Belo Horizonte, que aconteceu no dia 15 de maio na capital mineira. Em sua apresentação, Adélia falou sobre os ambientes digitais colaborativos e de que forma eles podem favorecer o processo de ensino, além de motivar alunos e tornar o aprendizado mais atraente. Ainda, como Diretora de Produtos e Serviços Educacionais da unidade de negócios e Educação Básica da Kroton, Adélia é responsável justamente por criar iniciativas que sejam interessantes para os nativos digitais. Afinal, uma das maiores vantagens da educação a distância é a capacidade de se adequar às demandas do estudante, tal qual o que ocorre com o adaptive learning.

Quer continuar por dentro das novidades e das novas tecnologias disponíveis para a área da educação? Assine nossa newsletter clicando neste link.

 

 

 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

1 Comentário

  1. […] Conheça os prós e os contras do uso das plataformas adaptativas, softwares que propõem atividades personalizadas para cada estudante.  […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.