Capacitação DocenteMetodologias de ensino

5 livros para entender a educação em 2019

0

Em tempos de inovação constante, alguns dos maiores desafios incluem identificar e implementar com sucesso novas estratégias de ensino. A literatura está aí para ajudar. Crédito: Marcos Santos/USP Imagens.

A cada ano que inicia, as instituições de ensino têm o desafio de estar em sintonia ao que há de mais novo em relação a estratégias e modelos educacionais. A necessidade de inovar é pressionada por uma geração que respira e depende da tecnologia. Assim, exigem-se de professores, escolas e universidades não apenas atenção ao que é tendência no Brasil e no mundo, mas altas doses de criatividade e ousadia.

O portal Desafios da Educação recomenda a seguir 5 leituras para quem pretende explorar as muitas possibilidades de transformar a educação.

#A escola do futuro

O jornalista Marcos Piangers, autor do best-seller O papai é pop, uniu-se a Gustavo Borba, diretor da unidade de graduação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), para responder perguntas pertinentes sobre educação para as novas gerações. Como será a escola do futuro? O que ensinar e como ensinar crianças e jovens que tem, na palma da mão, acesso a qualquer tipo de informação? O que esses alunos esperam da escola? O que seus pais esperam? Qual o papel dos professores nesse cenário? Os questionamentos colocam em evidência os anseios de uma geração mais velha, que se vê diante das mil e uma possibilidades de ensino proporcionadas pelo avanço das tecnologias.


Título:
#A escola do futuro: o que querem (e precisam) alunos, pais e professores
Autores: Marcos Piangers e Gustavo Borba
Editora: Penso
Ano: 2019
Nº de páginas: 131
Preço médio: R$ 29,25

 

Leia mais: 5 tendências para a educação em 2019

Alfabetização – a questão dos métodos

Prêmio Jabuti de melhor livro de Educação e Pedagogia e também de não-ficção, em 2017, Alfabetização: A questão dos métodos reflete sobre o momento para iniciar a alfabetização das crianças, os modelos mais eficientes e as controvérsias em relação às alternativas de aprendizagem da língua escrita. O tema voltou à carga após declarações polêmicas do presidente Jair Bolsonaro. Já o livro é o último escrito pela renomada pesquisadora Magda Soares, do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale) da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Título:
Alfabetização – A questão dos métodos
Autores: Magda Soares
Editora: Contexto
Ano: 2016
Nº de páginas: 384
Preço médio: R$ 57,80

 

 

Escolas criativas: a revolução que está transformando a educação

A reflexão proposta pelos autores suscita a seguinte pergunta: estariam as escolas matando a criatividade dos alunos? Inspirado em sua famosa palestra do TED, o consultor em educação Ken Robinson apresenta soluções práticas e inovadoras para revolucionar a educação. O livro é assinado em parceria com o escritor Lou Aronica e traz histórias, pesquisas e benchmarks do tema, convidando o leitor a repensar o verdadeiro propósito da criatividade, da aprendizagem e do ensino.


Título:
Escolas Criativas: a revolução que está transformando a educação
Autores: Ken Robinson e Lou Aronica
Editora: Penso
Ano: 2019
Nº de páginas: 262
Preço médio: R$ 70

 

Metodologias ativas para uma educação inovadora

Organizado pelos educadores Lilian Bacich e José Moran, o livro propõe uma análise entre teoria e prática a partir de experiências de professores que analisam o papel das metodologias ativas na educação básica e superior. Entre os temas de destaque está o protagonismo dos alunos, o compartilhamento de aulas entre professores e a construção do conhecimento através do desenvolvimento de competências.


Título:
Metodologias ativas para uma educação inovadora
Autores: Lilian Bacich e José Moran
Editora: Penso
Ano: 2018
Nº de páginas: 260
Preço médio: R$ 49,60

 

 

Leia mais: 3 metodologias ativas para apostar em 2019

Sala de aula invertida

Para cunhar o conceito de flipped classromm (traduzido no Brasil como sala de aula invertida), o educador norte-americano Jonathan Bergmann juntou-se ao professor Aaron Sams para responder a seguinte questão: qual professor nunca perdeu a energia ao dar a mesma aula quatro ou cinco vezes durante o mesmo dia, para turmas distintas? Ciente de que em cada sala de aula existem estudantes que não entendem parte das explicações, Bergmann e Sams defendem a inversão da sala de aula. A ideia principal é que o aluno estude previamente as principais explicações do professor. Assim, o encontro presencial se torna uma oportunidade para esclarecer dúvidas, realizar exercícios e trocar conhecimentos.


Título:
Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem
Autores: Jonathan Bergmann e Aaron Sams
Editora: LTC
Ano: 2016
Nº de páginas: 116
Preço médio: R$ 38,00

 

 

Leia mais: Entrevista exclusiva com Jon Bergmann

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *