EAD

Chegou a vez do LinkedIn investir em ensino a distância no Brasil

0

Reprodução do LinkedIn Learning

À medida que foi crescendo, a educação a distância se reinventou. Além das instituições de ensino superior – que até 2022 projetam um maior número de matrículas em EAD do que nos cursos presenciais –, novos players como empresas e redes sociais têm investido em soluções de aprendizado remoto.

Leia mais: A aposta das faculdades para compensar a perda de alunos no 2° trimestre

É o caso do LinkedIn, maior rede profissional do mundo, com 500 milhões de usuários. Desse total, 34 milhões estão no Brasil, o que a levou a trazer seu LinkedIn Learning. Trata-se de uma ferramenta para os assinantes da versão Premium que querem atualizar habilidades e impulsionar suas carreiras.

Segundo Milton Beck, diretor geral da empresa para a América Latina, o LinkedIn Learning começa no Brasil oferecendo 82 cursos com foco em soft skills. São competências como melhor forma de enfrentar conversas difíceis, estabelecer empatia em reuniões e enfrentar adversidades, explicou.

Daqui um ano, a empresa espera chegar a 200 opções de cursos. “É uma tendência mundial. No online, temos os melhores professores com uma boa curadoria e cursos mais baratos, que [podem ser feitos] a qualquer hora, com toda flexibilidade”, explicou Beck, em entrevista ao portal da revista Exame.

Para acessar o LinkedIn Learning, basta clicar aqui.

Ao concluir um curso – que tem em média 40 minutos de duração e pode ser feito de maneira offline pelo aplicativo do LinkedIn –, o certificado fica visível no perfil do usuário.

Ademais, segundo a Exame, o recurso permite compartilhar a conquista no feed de notícias, fazer recomendações e conferir as aulas que estão em alta entre profissionais da sua área.

Leia mais: Aprendizagem virtual na educação corporativa garante sucesso

O sistema de formação nasceu em 2015, quando o LinkedIn investiu US$ 1,5 bilhão na aquisição da Lynda.com, empresa americana líder em ensino online. A partir disso, a rede social incorporou a plataforma para dar cara e conteúdo ao LinkedIn Learning.

Até a entrada no Brasil, eram mais de 15 mil cursos em cinco idiomas, como francês, alemão e espanhol.

A versão Premium, que permite acesso ao LinkedIn Learning, custa a partir de R$ 50 por mês no plano Carreira. Veja os demais planos aqui. Usuários da versão gratuita que se inscreverem na plataforma podem utilizá-la por um mês, sem custo.

Leia mais: Cecilia Waismann: atual sistema de ensino é entrave para educação digital

Redação
A redação do Desafios da Educação é composta de jornalistas, educadores e especialistas em educação superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Comentários fechados.