EAD

Com educação a distância não existe tempo ruim

0

Os cursos online surgiram como alternativa a quem não tinha tempo para estudar ou para quem estava longe dos centros de educação, mas hoje eles também ajudam a resolver problemas pontuais da educação tradicional. Mesmo escolas e universidades focadas no ensino presencial podem se beneficiar das possibilidades criadas pela educação a distância. É o que está acontecendo em diversas instituições dos Estados Unidos que, durante o inverno, adotam dias digitais sempre que as tempestades de neve impedem os alunos de sair de casa.

Esse ônibus, por exemplo, não vai a lugar algum.

Esse ônibus, por exemplo, não vai a lugar algum. Fonte: Washington Post.

Em meio a um dos invernos mais severos da história, os Estados Unidos estão experimentando um novo esquema para os dias de clima inóspito. Via de regra, as instituições de ensino podem declarar até cinco dias ao ano como “dias de calamidade”. Agora, além destes, é possível adotar até três dias de tarefas em casa: os professores ficam conectados à internet para resolver dúvidas e os alunos completam as atividades em seu computador pessoal (ou no dispositivo fornecido pela própria escola).

A lei que permite a substituição de aulas presenciais por aulas a distância foi aprovada em 2011. Hoje, mais de dois terços das cidades norte-americanas participam da iniciativa, e a expectativa é que esse número aumente com o tempo. Conforme depoimentos colhidos pelo jornal USA Today, os alunos não mostraram grande interesse a princípio, mas acabaram não apenas se acostumando à ideia, como aderindo com entusiasmo.

No Brasil, as aulas a distância poderiam ser uma saída para os dias de enchente. Não há números oficiais sobre quantas escolas fecham – e quantos dias escolares se perdem – devido a inundações e alagamentos, mas há muitos exemplos em Santa Catarina, no Amazonas, em São Paulo, no Pará e país afora. Esses casos se referem apenas a fechamentos de escola em condições extremas, mas, mesmo em dias de enchentes menores em que as instituições abrem, muitos alunos não conseguem chegar a seu destino por falta de acesso ou de transporte.

Em Manaus, o transporte escolar fluvial é comum, mas depende da cheia dos rios. Fonte: Luis Impa

Em Manaus, o transporte escolar fluvial é comum, mas depende da cheia dos rios. Fonte: Luis Impa

Estima-se que, regularmente, mais de meio milhão de alunos no Brasil chegam à escola usando barcos. Embora esse sistema possa ser eficiente na maior parte do ano, ele é suscetível às mudanças da natureza. Hoje, quando os rios sobem demais, os alunos simplesmente perdem um dia de aula, fato inaceitável nos dias de hoje. Na era digital, já está mais que provado que, se o aluno não pode ir até a escola, a escola pode – e deve – ir até o aluno.

Na sua opinião, em que outras situações a possibilidade do ensino a distância se torna essencial? Os benefícios desse tipo de educação são inegáveis, mas, em alguns casos, ela pode fazer a diferença para quem não pode se deslocar até a instituição de ensino. No dia 19 de março, a EAD será um dos temas do Encontro de Lideranças: Desafios da Educação. O evento acontece em Brasília e é promovido pela Blackboard, pelo Grupo A Educação, e em parceria com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.