EdTechInsights

10 lições que os MOOCs ensinaram aos gestores da educação

0

O surgimento dos MOOCs (Massive Open Online Courses, ou cursos abertos e massivos online) trouxe à tona a possibilidade de um antigo sonho de muitos educadores: permitir o acesso ao conhecimento de forma abrangente e gratuita (ou a custos muito baixos). Essa mudança trouxe consigo novas perspectivas acerca das formas de ensinar e muitos gestores estão tirando grandes lições a partir do sucesso dos MOOCs. O site Education Dive listou 10 ensinamentos proporcionados por esses cursos aos profissionais da área da educação.

Os cursos abertos estão transformando as perspectivas da educação. FONTE: Rethink Media

Os cursos abertos estão transformando as perspectivas da educação.
FONTE: Rethink Media

#1 Investimento que se transforma

A criação de um curso online requer uma significativa quantidade de investimento inicial. No entanto, após a finalização do material, ele pode ser reutilizado para outros fins, em diferentes mídias. Por exemplo: para realizar o curso, é necessário, além do profissional que irá lecionar, script, câmeras, áudio e todo o trabalho de edição. Após a finalização, porém, esse material pode se desdobrar em podcasts, pequenos clipes e transcrições para leitura.

#2 A participação dos estudantes

Os MOOCs atraem todos os tipos de estudantes, muitos deles com uma grande experiência e qualificação na área de seu curso. Esses alunos podem atuar como mentores e prestar suporte a outros estudantes com diferentes níveis de conhecimento.

#3 A otimização do tempo

Pesquisas mostram que, ao planejar um curso online, gestores devem ter em mente o período máximo de quatro semanas. Após esse intervalo, muitos alunos tendem a perder o interesse. Outras dicas importantes:

– após 6 minutos de projeção, há uma tendência do espectador a desviar a atenção;

– professores que passam uma atmosfera relaxada e informal, sentados em sua mesa, por exemplo, obtém mais sucesso nesse tipo de mídia do que aqueles que se colocam em um púlpito, de maneira excessivamente formal;

– professores que falam rápido (cerca de 254 palavras por minuto) tendem a engajar mais o estudante;

– pausas são interessantes para que o aluno absorva o conteúdo por meio de diagramas e outros recursos visuais; e

– utilizar excertos de vídeos antigos não é tão eficiente quanto criar um material completamente novo, preparado especialmente para o estudante digital.

#4 Estrutura própria

Em um curso online, o conteúdo utilizado no ensino tradicional não pode ser copiado. A estrutura dos tópicos deve ser pensada inteiramente para a educação a distância, assim como devem ser realizadas divisões por módulos e subtópicos. Selecione os pontos mais importantes da disciplina e organize as lições a partir deles.

#5 O acesso de todos os tipos de alunos

Se o curso a ser criado exige internet de alta velocidade, tenha em mente que o conteúdo se tornará acessível somente para alunos de uma certa faixa socioeconômica. Para ampliar o acesso de estudantes de zonas rurais ou de baixa renda, realize convênios com bibliotecas, por exemplo, para que eles tenham acesso a uma boa conexão. Ou, ainda, pense em conteúdos mais simples e leves que possam chegar mesmo àqueles que não possuem uma conexão com a internet de alta qualidade.

O convênio com bibliotecas locais podem ajudar a permitir o acesso de alunos que não possuem bom acesso à internet aos cursos online.  Fonte: Heriott Watt

O convênio com bibliotecas locais podem ajudar a permitir o acesso de alunos que não possuem bom acesso à internet aos cursos online.
FONTE: Heriott Watt

#6 Ensino vocacional

Os MOOCs são especialmente interessantes para a oferta de cursos, propostos por possíveis empregadores, que foquem justamente nas habilidades necessárias para seus futuros colaboradores.

#7 Melhorando o ensino por meio de dados

A estrutura dos MOOCs permite a geração de estatísticas a respeito do desempenho dos estudantes. Utilize essas informações para compreender como se dá o aprendizado de seus alunos e transformar dados em performance.

#8 O fim da gratuidade?

A gratuidade dos MOOCs, como vimos anteriormente, pode estar com os dias contados. A migração para um modelo que seja, em vez de livre, de baixo custo, pode ser inevitável. No entanto, é possível que gestores comecem a imaginar possibilidades de financiamento que não onerem o estudante, como o patrocínio de grandes fundações que se proponham a apoiar o ensino.

#9 Certificado digital

A exigência de certificados digitais e o dispêndio necessário por parte dos alunos para se adequarem podem ampliar a taxa de aprovação em MOOCs de 5% para 60% Ou seja, implementar certificados pagos faz com que seja diminuída a evasão nos cursos online.

Os MOOCs podem oferecer as possibilidades do ensino digital para os alunos do ensino tradicional. FONTE: Pacific Standard

Os MOOCs podem oferecer as possibilidades do ensino digital para os alunos do ensino tradicional.
FONTE: Pacific Standard

#10 O caminho para a mudança

Os MOOCs podem ou não dominar o mundo. Mas a verdade é que, com o surgimento de plataformas cada vez mais abrangentes, como a Open Education Blackboard, está ocorrendo uma disruptura com relação aos métodos tradicionais. As grandes comunidades globais que se formam por meio dos cursos massivos trazem novas perspectivas educacionais que, embora ainda atuem, muitas vezes, em conjunto com o ensino presencial, trazem uma experiência completamente nova para os estudantes. Os MOOCs estão ajudando a criar uma rede de educação híbrida, inserindo no cotidiano de muitos alunos as tecnologias e os métodos utilizados na educação a distância. Como suporte ao ensino presencial ou como uma possibilidade única e completa de aprendizado, os MOOCs demonstram que, o futuro da educação pode ser reimaginado a partir da acessibilidade e da globalização.

E você? Já teve alguma experiência com cursos abertos online? Não deixe de compartilhá-la conosco! E, para manter-se atualizado sobre as possibilidades do futuro da educação, assine nossa newsletter.

 

 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *