Metodologias de EnsinoOpinião

Josiane Tonelotto: “metodologias tradicionais estão ficando obsoletas”

3

11825577_1008751532547164_4415786933692772231_n

Josiane Tonelotto, da Universidade Anhembi Morumbi, falou sobre os “Desafios do Docente na Educação Superior no século XXI: a sala de aula” no Fórum de Lideranças: Desafios da Educação, que aconteceu em agosto em São Paulo.

Segundo ela, a educação no Brasil, apesar de ser considerada prioridade, passa por séria crise em todos os níveis:

“No Ensino Superior, no que se refere aos estudantes, temos problemas com acesso, permanência e conclusão de cursos. Com relação aos docentes, temos problemas como titulação e formação”.

E como temos formado nossos docentes no ensino superior? De acordo com dados do Geocapes (CAPES), em 2013 o Brasil formou 60.354 mestres e doutores (15.287 doutores e 45.067 mestres).

“Em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil, a formação dos pós-graduandos enfatiza o treinamento na pesquisa em detrimento do treinamento para a docência”, conta Josiane.

A doutora da Universidade Anhembi Morumbi ainda destacou os perfis dos estudantes e dos docentes atuais:

Quem é o estudante hoje?

– Domina a tecnologia

– Tem muita informação

– Vive com o mundo virtual desenvolvido

– Se comunica via email, sms e whatsapp

– É focado em atualização

– Questiona carreiras e estudos formais

– Têm pouca profundidade

– Têm baixo relacionamento interpessoal

– É movido pelos desafios

“Os nativos digitais ganharam em igualdade, mas perderam em maturidade. São críticos, exigentes, imediatistas e autodidatas”, fala Josiane.

E os docentes de hoje em dia?

– Devem aprender a utilizar a tecnologia

– Selecionam informações

– Tem o mundo virtual pouco desenvolvido

– Valorizam a comunicação pessoal

– Esforçam-se para se manterem atualizados

– Acreditam na carreira e em estudos formais

– Trabalham com maior profundidade

– Investem no relacionamento interpessoal

– São movidos pela liderança

Josiane também destacou que é preciso escolher a metodologia adequada, colocando o foco na aprendizagem e no estudante – atendendo ao nativo digital – e cujo mediador seja o docente com todos os recursos que puder utilizar. Como?

– Desenvolver e disseminar conhecimento;

– Preparar pessoas para trabalharem numa sociedade baseada no conhecimento;

– Não devem focar apenas as informações a serem adquiridas;

– Devem basear-se no questionamento e exploração de ideias e de pontos de vista diversos;

– Devem desenvolver o pensamento crítico e original;

E provocou:

“Como ensinar nativos digitais com metodologia tradicional? As metodologias tradicionais estão ficando obsoletas em um mundo que encoraja as pessoas a pensarem crítica e criativamente”.

Ao final, mostrou recursos de tecnologia educacional para serem usados na educação superior, e falou:

“Edudemic, Teachonline e Educators Tecnology são sites que podem inspirar os professores para aprenderem a fazer diferente. Ele não é preparado para usar determinadas tecnologias e a rejeição ao EAD acontece porque queremos dar o mesmo ensino presencial para o on-line. E isso tem que ser adaptado”.

Confiram a palestra completa no link.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

3 Comentários

  1. […] Josiane Tonelotto, da Universidade Anhembi Morumbi, falou sobre os “Desafios do Docente na Educação Superior no século XXI: a sala de aula” no Fórum de Lideranças: Desafios da Educação, que aconteceu em agosto em São Paulo.Segundo ela, a educação no Brasil, apesar de ser considerada prioridade, passa por séria crise em todos os níveis:“No Ensino Superior, no que se refere aos estudantes, temos problemas com acesso, permanência e conclusão de cursos. Com relação aos docentes, temos problemas como titulação e formação”.E como temos formado nossos docentes no ensino superior? De acordo com dados do Geocapes (CAPES), em 2013 o Brasil formou 60.354 mestres e doutores (15.287 doutores e 45.067 mestres).“Em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil, a formação dos pós-graduandos enfatiza o treinamento na pesquisa em detrimento do treinamento para a docência”, conta Josiane.  […]

  2. […] no tocante às formas de ser/estar no mundo atual. Muitos autores discutem esta questão e, Tonelotto (2015), resume estas distinções: quem é o estudante hoje? É aquele que usa tecnologia com […]

  3. […] Josiane Tonelotto, da Universidade Anhembi Morumbi, falou sobre os “Desafios do Docente na Educação Superior no século XXI: a sala de aula” no Fórum de Lideranças: Desafios da Educação, que aconteceu em agosto em São Paulo. Segundo ela, a educação no Brasil, apesar de ser considerada prioridade, passa por séria crise em todos os níveis: “No Ensino Superior, no que se refere aos estudantes, temos problemas com acesso, permanência e conclusão de cursos. Com relação aos docentes, temos problemas como titulação e formação”. E como temos formado nossos docentes no ensino superior? De acordo com dados do Geocapes (CAPES), em 2013 o Brasil formou 60.354 mestres e doutores (15.287 doutores e 45.067 mestres). “Em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil, a formação dos pós-graduandos enfatiza o treinamento na pesquisa em detrimento do treinamento para a docência”, conta Josiane.  […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.