Metodologias de Ensino

5 mitos sobre o microlearning

0

Um dos desafios do processo de ensino e aprendizagem é garantir a retenção da memória. Caso não tenha sido mobilizado ou não tenha impacto suficiente, o conteúdo de aulas, cursos, palestras e leituras é esquecido com o passar do tempo. Essa teoria – aqui simplificada – se chama Curva do Esquecimento e foi criada por Hermann Ebbinghaus em 1885.

Segundo o artigo Microlearning como uma nova abordagem tecno-pedagógica: uma revisão, a Curva do Esquecimento ajuda a compreender por que a forma tradicional de ensino (com aulas longas, unidirecionais, alta carga de informações, onde o professor é o detentor do conhecimento e o aluno um mero receptor) faz com que a retenção das informações seja significativamente prejudicada.

Assim, diferentes metodologias de ensino tentam criar uma aprendizagem mais significativa, mais prática, e consequentemente, mais memorável. Uma forma de fazer isso é através do microlearning, ou microaprendizagem. Essa abordagem se diferencia por utilizar aulas divididas em “pequenas porções”, com durações menores do que as aulas tradicionais.

Tendência

O microlearning surgiu com foco no mundo corporativo, tendo em vista o pouco tempo disponível para a capacitação dos funcionários. Porém, a metodologia logo passou a ser utilizada em outras esferas de ensino.

O artigo “Metodologia Microlearning em disciplinas semipresenciais: Experiência adquirida e resultados alcançados”, publicado em 2020, por exemplo, apresenta uma experiência de ensino e aprendizagem através do microlearning em disciplinas semipresenciais do ensino superior.

Os resultados mostraram que a adoção do microlearning aumentou o engajamento e a participação dos alunos. Além disso, houve evolução no desempenho, mensurado através de notas.

Contudo, é preciso saber quando e para qual finalidade usar essa metodologia, uma vez que ela não pretende ser abrangente como um curso de longo prazo. Ou seja, tudo depende do objetivo a ser alcançado.

ebook experiencia de aprendizagem

Leia mais: Microlearning como estratégia de formação continuada de professores

5 mitos sobre o Microlearning

Com a presença cada vez maior do microlearning no mundo corporativo e no ensino superior, surgiram uma série de mitos em torno dessa metodologia.

Confira, a seguir, 5 mitos sobre o microlearning:

MITO 1: Microlearning é dividir cursos grandes em pedaços menores.

Não se trata só de “fatiar” um conteúdo. O microlearning propõe transmitir as informações mais relevantes de formas mais precisas, pois a preocupação está no contexto de aprendizagem.

Ao contrário da simples fragmentação, que cria porções interdependentes de informação, as unidades de microlearning fornecem conteúdo independente e com um objetivo de aprendizagem específico.

MITO 2: Microlearning deixa conteúdo de fora.

Na verdade, o microlearning envolve um criterioso trabalho de curadoria para definir o que é realmente importante dentro do conteúdo que se deseja transmitir, cortando o que não é relevante ou que complica a compreensão do que deveria ser simples.

MITO 3: Microlearning é só conteúdo.

Microlearning não é só conteúdo – ou só vídeo. Podem-se ter outras atividades de aprendizagem de curta duração. O importante é que o material seja bem planejado e executado com coerência e atratividade, capacitando o aluno no assunto proposto.

MITO 4: Existe uma duração ideal.

Não existe um padrão. A duração ideal será determinada pelo envolvimento do estudante e pelo contexto de aprendizagem. O objetivo é ter o conteúdo certo na medida certa, com módulos de aprendizagem concisos.

MITO 5: Microlearning é uma moda passageira.

O microlearning está formalmente em cena desde a década de 1990. Mas o conceito de aprender em doses menores e rápidas é parte integrante do processo evolutivo humano.

Os aplicativos de smartphones, por exemplo, são microlearning. Informações rápidas e geralmente acessadas desde um celular ditam cada vez mais a contínua “necessidade de velocidade”. Dificilmente essa “moda” irá sair de cena.

Leia mais: Thuinie Daros: 8 tendências da educação a partir de 2022

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.