Gestão

Universidade de portas abertas para o conhecimento

2

Imagine uma sala de aula aberta onde todo o conteúdo é livre para acesso e modificação. Parece uma ideia impossível? Até o início deste ano, pouco se falava em Recursos Educacionais Abertos (REA) no país – nome dado a este tipo de iniciativa. Porém, com a popularização dos Moocs (cursos on-line gratuitos e massivos, em português) o conceito voltou ao centro dos debates – e sua popularidade não fica restrita ao Brasil.

desafios

Fonte: Pinterest

Segundo o relatório da NMC, o conteúdo aberto é uma prática que se tornará comum em menos de um ano na América Latina. De acordo com a Unesco, REA são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa, em qualquer suporte ou mídia, que estão sob domínio público ou licenciados de maneira aberta – e podem ser utilizados ou adaptados por terceiros. Com o acesso à internet, a informação está disponível em qualquer lugar. Diversos pesquisadores, inclusive, têm direcionado seus estudos para os processos de aprendizagem, o que abre espaço para novos modelos pedagógicos.

Além dos Moocs, os conteúdos abertos que utilizam licenças como Creative Commons, por exemplo, podem estimular não apenas o compartilhamento, mas incentivar competências relacionadas à pesquisa, avaliação, interpretação e utilização para fins educacionais. Nesse contexto, o LATIn Open Textbooks desenvolve e distribui livros didáticos com licença Creative Commons para os países latino-americanos.

b1a8747e476613ef2f69a17be90b07d4

Fonte: Pinterest

Com foco semelhante, a Universidade de Michigan disponibilizou uma série de recursos que podem ser utilizados pelos educadores latinos. No Brasil, a Universidade de São Paulo (USP) possui o site Acesso Aberto, onde discute-se o livre acesso às informações acadêmicas.

Incentivar o desenvolvimento de conteúdo aberto na universidades vai além da distribuição gratuita de conhecimento. Liberar o acesso aos materiais produzidos na academia possibilita
a colaboração, tornando o conteúdo ainda mais rico e o fato de adaptar as instituições para esta nova abordagem dá aos educadores a possibilidade de tornar a sala de aula um ambiente mais
criativo.

E você, acredita que os recursos educacionais abertos podem contribuir para a evolução do ensino superior?

Quer continuar a discussão por email? Cadastre-se na nossa newsletter Desafios da Educação clicando neste link.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

2 Comentários

  1. […] Imagine uma sala de aula aberta onde todo o conteúdo é livre para acesso e modificação. Parece uma ideia impossível? Até o início deste ano, pouco se falava em Recursos Educacionais Abertos (REA) no país – nome dado a este tipo de iniciativa. Porém, com a popularização dos Moocs (cursos on-line gratuitos e massivos, em português) o conceito voltou ao centro dos debates – e sua popularidade não fica restrita ao Brasil.  […]

  2. […] "Imagine uma sala de aula aberta onde todo o conteúdo é livre para acesso e modificação. Parece uma ideia impossível? Até o início deste ano, pouco se falava em Recursos Educacionais Abertos (REA) no país – nome dado a este tipo de iniciativa. Porém, com a popularização dos Moocs (cursos on-line gratuitos e massivos, em português) o conceito voltou ao centro dos debates – e sua popularidade não fica restrita ao Brasil.(…)".  […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.