Insights

Um modelo de escola – em plena Faixa de Gaza

0

Escola Jamal Abdul Nasser foi denominada a primeira escola “amiga da criança” na Faixa de Gaza. Créditos: MEMO.

A destruição de alvos civis é um dos principais flagelos provocados pelas guerras ao redor do mundo. Os habitantes da Faixa de Gaza, no Oriente Médio, vivem esse drama diariamente, devido ao conflito entre israelenses e palestinos. Em 2014, um bombardeio dizimou a Escola Jamal Abdul Nasser, localizada na Cidade de Gaza – um território próximo da fronteira entre Egito e Israel.

A instituição recebia cerca de 800 alunos, com idades entre 11 e 16 anos. Após a destruição, eles tiveram de se amontoar num colégio vizinho, um dos poucos que resistiram ao ataque aéreo. O projeto de reconstrução da escola levou quatro anos para ficar pronto – e buscou atender às diretrizes traçadas pelos próprios alunos.

A iniciativa foi financiada pela Fundação Educação Acima de Tudo (EAAF, na sigla em inglês), do Qatar. “Nós deixamos a comunidade e as crianças, que usam a escola todos os dias, influenciarem no projeto”, explica Farooq Burney, diretor executivo da EAAF, em entrevista ao site Palestine Chronicle.

Os pedidos dos alunos tinham tudo a ver com o ambiente atribulado de Gaza. Cansados de viver a ameaça diária da guerra em seus próprios lares, eles queriam ter um lugar seguro e protegido para estudar. Assim, os arquitetos e engenheiros se concentraram em conceber uma estrutura resistente a explosões e à prova de danos, que pudesse servir como um abrigo de emergência.

Bunker da educação

Um exemplo da preocupação com os bombardeios está no fato de as salas de aula serem conectadas internamente. Ou seja, os alunos podem passar de um ambiente ao outro sem a necessidade de sair ao ar livre. A escola também possui sistemas de paredes e vidros duplos, janelas antirruídos e isolamento térmico.

Além disso, o projeto incluiu placas solares para garantir o abastecimento de energia permanente – caso a rede de eletricidade de Gaza sofra avarias durante os ataques. Outro ponto importante foi a instalação de um centro médico, dedicado a dar suporte à saúde mental dos alunos.
A nova Escola Jamal Abdul Nasser, desenhada com a ajuda dos estudantes, foi entregue à comunidade em março de 2018. O projeto contou com a participação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), ambos coordenados pela ONU.

Inclusive, a obra pode servir como referência para a reconstrução de instituições de ensino localizadas nas demais zonas de conflito – como a Síria, por exemplo. A EAAF, por sua vez, pretende reparar outras escolas de Gaza e implementar ações locais de fomento ao ensino – como a montagem de centros de treinamento vocacional para jovens.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Comentários fechados.