Microsoft desenvolve IA e programas em STEM para revolucionar ensino

Recentemente, a Microsoft lançou um livro instigante. The Future Computed: Artificial Intelligence and its role in society (O Futuro Computadorizado: a Inteligência Artificial e seu papel na sociedade), ainda sem tradução para o português, apresenta a perspectiva da companhia liderada por Bill Gates para a interação pessoa-robô.

A aposta é que a tecnologia de Inteligência Artificial (IA) vai transformar áreas tão distintas como saúde, agricultura, transporte e educação – ou melhor, já está revolucionando. Ao menos é o que garante Antônio Moraes, diretor de Educação da Microsoft no Brasil.

Em entrevista exclusiva ao Desafios da Educação, o executivo afirma que que a empresa já não consegue pensar os processos de ensino e aprendizagem sem a intervenção da IA. “Estamos comprometidos com a democratização da Inteligência Artificial. Graças aos avanços na tecnologia, podemos nos comunicar mais facilmente em múltiplas plataformas e descobrir soluções cada vez mais inclusivas e personalizadas.”

A Microsoft também prevê que a mão de obra do futuro estará fortemente atrelada às competências em STEM, acrônimo em inglês usado para designar as quatro áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Pensando nisso, a empresa lançou o programa Hacking STEM no Brasil. O projeto é gratuito e oferece oito pacotes de conteúdo voltados ao aprendizado básico dessas quatro competências. “Mais do que uma palavra da moda, o STEM é uma mudança de paradigma na educação”, diz Moraes.

Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

LEIA MAIS: Como as gigantes da tecnologia apostam em edtechs

Qual é o objetivo da Microsoft ao investir em ferramentas de educação?
Acreditamos que a tecnologia pode ser utilizada como uma ferramenta para empoderar estudantes e professores e criar o mundo de amanhã. Por isso, escolas e educadores devem ter como premissa a transformação em seus métodos, de modo a formar uma cultura que desafie todos a colaborar e pensar maior. As salas de aula precisam evoluir e oferecer para crianças e jovens o poder da tecnologia, direcionando-os aos processos de aprendizagem que oferecerão a esses alunos a preparação necessária para conseguir um emprego na era digital. Os sistemas educacionais que conhecemos hoje foram construídos para uma economia e uma sociedade que não existe mais. Nas economias industrial e agrária, que existiam há 50 anos, bastava dominar a leitura, escrita e aritmética. No mundo moderno, isso simplesmente não é mais suficiente. Se os estudantes de hoje quiserem competir na economia global, eles devem ser comunicadores, criadores, pensadores críticos e colaboradores proficientes. Os alunos precisam dominar áreas adicionais, incluindo idiomas estrangeiros, artes, geografia, ciências e estudos sociais.

Em relação ao mercado de trabalho do futuro, inclusive, fala-se muito de STEM, certo?
O STEM é uma mudança de paradigma na educação. Ele coloca os estudantes no centro do aprendizado, permitindo que eles questionem, interajam e construam o mundo que eles veem. A educação em STEM não apenas prepara nossos futuros médicos, pesquisadores, cientistas e designers, mas é importante para todo o tipo de profissão. O problema é que a maioria dos países não produz graduados suficientes em STEM, e as empresas precisam de graduados em STEM para criar a próxima geração de inovações empolgantes. Por isso a Microsoft lançou no Brasil o Hacking STEM, um programa de aulas gratuitas focadas no assunto. Estamos empenhados em incentivar os alunos a seguir uma carreira em STEM. Mais do que uma palavra da moda, o STEM é uma mudança de paradigma na educação.

Além do programa em STEM, que outros projetos de educação que a Microsoft desenvolve no Brasil?
Desde 2003, capacitamos milhares de professores e beneficiamos milhares de alunos do país por meio do acesso aos conteúdos educativos e de boas práticas do programa Parceiros na Aprendizagem. Temos uma série de projetos e iniciativas que apoiam toda a jornada empreendedora, desde a etapa da educação, começando pelo apoio à qualidade de ensino e capacitação de crianças e jovens em tecnologia até o incentivo para a criação de ideias inovadoras e a geração e desenvolvimento de startups. Também temos um programa chamado Professores Embaixadores, que consiste na capacitação de professores no uso das ferramentas Microsoft para que se tornem aptos a preparar os futuros profissionais, contando com o melhor da tecnologia no processo educacional. Também vale mencionar os acordos de cooperação com várias esferas governamentais para implantar programas de doação de softwares e experiências com o uso de IA – uma tecnologia de ponta que pode mudar os rumos da educação e ajudar a desenvolver as habilidades que serão requeridas no mercado de trabalho no futuro.

Você poderia falar de algumas dessas parcerias?
A Microsoft oferece o Office 365 Educacional gratuitamente para toda instituição regular de ensino. Mas há muitas parcerias específicas. Apoiamos a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) de Goiás no desenvolvimento da plataforma Goiás 360, com base no Office 365. Trata-se de uma solução para prover informações de forma rápida e eficiente para que diretores, professores de toda a rede possam tomar decisões estratégicas. Com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, disponibilizamos acesso ao Office 365 hospedado em nuvem. Nesse modelo, 4,3 milhões de alunos e 240 mil professores das escolas públicas utilizam os programas Word, Excel, PowerPoint, OneNote, Outlook e aplicativos. Assim, os estudantes passaram a viver uma nova experiência de aprendizado, com rotinas escolares mais dinâmicas e produtivas. Na área de IA, estamos testando um sistema para antecipar tendências de evasão nas escolas públicas. Além disso, fizemos uma parceria com o grupo Unip/Objetivo tanto em IA quanto em nuvem com funções como legendas simultâneas em até seis idiomas e buscas indexadas ao conteúdo das vídeo-aulas. Na prática, significa que se o aluno estiver buscando um trecho específico do vídeo basta que ele pesquise por um determinado termo e poderá acessar exatamente os trechos que se referem ao tema.

Você falou bastante em Inteligência Artificial. Essa é a grande aposta da empresa?
Estamos comprometidos com a democratização da IA e com a implantação de programas de doação de softwares e experiências com o uso dessa tecnologia. Acreditamos que isso vai mudar os rumos da educação. E não apenas as escolas, mas todos têm a ganhar. A tecnologia ajuda os processos educacionais a serem mais fáceis e produtivos, acelerando o aprendizado dos alunos. Combinada com a capacidade humana, ela ajuda as pessoas a fazer coisas incríveis. Graças aos avanços em IA, podemos nos comunicar mais facilmente em múltiplas plataformas e descobrir soluções cada vez mais inclusivas e personalizadas. Existem soluções, por exemplo, que ajudam os professores a reconhecer quando os alunos estão se distraindo ou perdendo o interesse pela aula. Assim, os educadores podem mudar sua abordagem de ensino. Ela também permite fazer análises, baseada em informações como endereço do estudante, situação socioeconômica, rendimento escolar, número de faltas, entre outras variáveis – podendo identificar estudantes com risco de evasão e aprimorar o currículo escolar e a experiência do ensino. Tudo o que a IA proporciona leva o aluno a um envolvimento mais profundo e estimula habilidades importantes, como a criatividade e a colaboração tão fundamentais para a criação de mão de obra qualificada.

Foto em destaque: Antônio Moraes, diretor de Educação da Microsoft Brasil. Crédito: Divulgação.