Metodologia Waldorf se expande e ganha primeira universidade no Brasil

Na Faculdade Rudolf Steiner, metodologia Waldorf se mescla aos preceitos do sistema de educação tradicional (FOTOS: Divulgação)

Apesar do uso cada vez maior de computadores e outros recursos tecnológicos no ensino, instituições de metodologia Waldorf, que valoriza o trabalho manual e o contato com natureza, seguem expandido e agora contam com uma faculdade no Brasil.

A operação da nova Faculdade Rudolf Steiner começou este ano na capital paulista – e uma cerimônia marcou sua inauguração, em abril passado. Por enquanto, apenas um curso é oferecido: Pedagogia. Foram abertas 50 vagas para o curso, cujo currículo mescla preceitos do paradigma Waldorf aos do ensino tradicional. Além das disciplinas técnicas, por exemplo, a grade conta com cadeiras de danças brasileiras, experiências poéticas e educação do corpo.

A filosofia, criada na Alemanha em 1919, desembarcou ao Brasil na década de 1950, com a implementação de uma escola em São Paulo. Hoje, mais de 60 anos depois, o país possui 74 instituições alinhadas ao método Waldorf e 9.700 alunos. Há outras 130 escolas em processo de certificação.

Até então, a preparação específica para dar aulas no sistema Waldorf era realizada em cursos de extensão ou de pós-graduação. A Rudolf Steiner incrementa o mercado ao também oferecer opções de especialização lato sensu – em Metodologia do Ensino Infantil Waldorf e Metodologia do Ensino Fundamental Waldorf –, mas pretende focar na graduação.

Aprovado pelo Ministério da Educação, em 2017, o curso requisita, por exemplo, que os graduandos passem por estágios em escolas públicas, particulares e ligadas ao sistema da universidade. O propósito não é necessariamente criar novos professores da metodologia, mas, sim, criar um diálogo com diferentes linhas educacionais.

“Temos o desejo de que a maioria dos professores aqui formados vá trabalhar em escolas que não são Waldorf, especialmente nas públicas”, afirmou a diretora da faculdade Melanie Guerra, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Waldorf valoriza emoções

O método Waldorf segue os preceitos da Antroposofia. Nela, a doutrina é direcionada ao entendimento holístico de questões materiais, emocionais e espirituais do ser humano. Aliás, o nome do IES paulista é uma homenagem ao fundador da Antroposofia, o filósofo austríaco Rudolf Steiner, nascido em 1861.

Proposta é mesclar os preceitos da metodologia Waldorf aos do sistema de educação tradicional, formando professores aptos a lecionar em qualquer escola
Faculdade Rudolf Steiner, em São Paulo.

O modelo tem muitas características próprias. Uma delas é o acompanhamento da turma de forma permanente pelo mesmo professor. Na educação básica, onde o método está mais difundido, o profissional segue vinculado aos estudantes durante os oito anos de estudo.

A ideia da faculdade, portanto, é mostrar aos graduandos da Pedagogia como esse elo de confiança com o docente permite diagnosticar as dificuldades dos alunos – e consequentemente os ajude a superá-las. Outro ponto importante é a valorização do trabalho manual e do contato com a natureza.

A mensalidade da graduação em Pedagogia na Rudolf Steiner custa R$ 1.498. Atualmente, 32 alunos ocupam as 50 vagas disponibilizadas. O processo seletivo ocorre por meio de um vestibular, e são oferecidas dez bolsas de estudo.