Tendências para as universidades latino-americanas

O que será parte fundamental do ensino superior da América Latina no futuro? As mudanças relacionadas à educação tomaram velocidade, impulsionadas pelas mudanças culturais e pelo acesso à tecnologia. Publicado neste mês, o relatório regional do NMC (New Media Consortium), responsável por estudar o ensino superior latino-americano, já prevê 12 tecnologias e dez grandes tendências e desafios para a educação nos próximos cinco anos. Saiba mais:

8c56c767dea8d06139a6d6e791680944
Fonte: Pinterest
  • A pesquisa – feita por 44 especialistas, incluindo três brasileiros, nos meses de maio e junho –  é um guia de referência para o uso da tecnologia por educadores, pesquisadores, administradores e técnicos. Quanto às ferramentas e processos tecnológicos, por exemplo, os resultados indicam que, no prazo máximo de um ano, as universidades já terão ambientes colaborativos, aprendizado on-line, conteúdo aberto e uso de mídias sociais. O uso de realidade aumentada, ferramentas analíticas e aprendizado móvel, por sua vez, serão rotina em dois e três anos. Para quatro ou cinco anos, foram apontadas as impressoras 3D, os laboratórios virtuais e remotos e a inteligência das coisas.
  • O NMC também é responsável pelo Horizont Report , que aponta tendências na educação em todo o mundo. Inclusive, comentamos aqui no blog a respeito das seis tecnologias para o futuro e cinco tendências no ensino superior presentes neste relatório. Na América Latina, a pesquisa contou com a ajuda do Virtual Educa e o Csev (Centro Superior para la Enseñanza Virtual) e, em comparação com o que foi apontado pelo NMC para as universidades em geral, a importância do aprendizado móvel se mostra urgente também na América Latina. Na prática, podemos destacar o uso dos  smartphones em sala de aula.

    7fb2d2647d7b8af1467266bdbf13f3a0
    Fonte: Pinterest
  • O grande destaque para a educação superior dos latino-americanos é o ensino analítico, que deve tornar-se popular nos próximos dois ou três anos. O relatório também informa que as mudanças provocadas pela tecnologia vão alterar o papel do educador, além de consolidar o uso das mídias sociais como forma de interação, apresentação de novas ideias e qualidade de conteúdo. A má notícia é que incentivar o uso das tecnologias de forma significativa pela maioria dos acadêmicos será um desafio nos próximos cinco anos.

Ao longo da semana, vamos falar mais sobre tecnologias, tendências e desafios indicados pelo NMC para as universidades latino-americanas. Não deixe de conferir!

Quer continuar a discussão por email? Cadastre-se na nossa newsletter Desafios da Educação clicando neste link.