Material didático: ele também está mudando

A época dos livros escolares pesados está ficando no passado. Cada vez mais o material didático migra para o formato digital e está disponível para o aluno a qualquer momento e em qualquer dispositivo. Mas como escolher o melhor método de ofertar conteúdo para os estudantes?

Tudo começa em entender as necessidades da instituição. “A primeira coisa que é preciso ter em mente é qual a metodologia de ensino que se está oferecendo”, explica Roberta Galon, coordenadora de EAD da Universidade Positivo. “Quanto mais completo o material for para a modalidade, melhor”, diz ela.

Um dos primeiros passos para a construção de um curso de sucesso é justamente a escolha de um Learning Management System (LMS) robusto, que possa suprir as necessidades da instituição. Mais conhecido no Brasil como Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), é ele que vai dar suporte para os conteúdos do curso – seja presencial, a distância, corporativo ou qualquer outro tipo de instituição.

Dentro do Ambiente Virtual, é possível personalizar aulas com as principais necessidades do contexto do ensino. Gamificação, sala de aula invertida e uma gama quase infinita de materiais e metodologias podem ser atreladas ao uso de plataformas como o Blackboard, que além de hospedar conteúdos é capaz de gerar métricas para avaliação de aprendizagem, permitindo a análise individual de cada estudante.

Hoje, uma das maiores preocupações das IES diz respeito ao desenvolvimento de competências. “Tanto com alunos ou colaboradores, o objetivo é que ambos consigam se desenvolver de maneira completa através do material didático disponibilizado nos ambientes virtuais de aprendizagem”, explica Daiana Rocha, gerente de produção de conteúdo digital da SAGAH, empresa que integra conteúdo, tecnologia e serviços para oferecer uma experiência de aprendizagem completa a IES e alunos.

Segundo ela, já existem movimentos significativos de alteração nas ma