5 maneiras criativas para ajudar os alunos com TDAH a prosperarem na sala de aula

Recentemente, o NY Times publicou um artigo intitulado: “Uma correção natural para o TDAH”. Neste texto, o Dr. Richard Friedman, professor de Psiquiatria Clínica e Diretor da Clínica Psicofarmacologia no Weill Cornell Physicians, explora a neurociência por trás do TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade).

5569275529_55bcddc601_o

TDAH na sala de aula foi considerado um tema controverso por muito tempo
Por um lado, os defensores de intervenções farmacêuticas como a Ritalina e Adderall confirma que os medicamentos ajudam os alunos a concentrar-se em sala de aula e gerenciam melhor suas atividades em casa. Muitos professores consideram estes medicamentos essenciais em termos de gestão de sala de aula e alguns estudantes não tratados podem desencadear discussões em sala e exigir que o professor dispenda muita energia apenas para manter a ordem em aula.
(Porém, convém notar que o TDAH se manifesta de muitas formas e afeta também os alunos mais calmos uma vez que muitas vezes não é diagnosticada precocemente.)
Por estas razões, não é incomum ouvir professores, pais e até mesmo os próprios estudantes se referirem aos medicamentos para tratar o TDAH como um “milagre”.
No entanto, ao ler a seção de comentários de um artigo escrito em apoio a esses medicamentos, lemos muitas pessoas contando histórias de medicações utilizadas inadequadamente. O TDAH é frequentemente utilizado como um diagnóstico para todos os problemas comportamentais percebidos. Muitos pais e alunos descrevem que se sentem pressionados a tomar a medicação e, muitas vezes os alunos mais humildes não recebem outros recursos além do prescrito.
Cada professor ou conselheiro conhece a frustração que resulta quando um aluno tem TDAH e uma família rejeita a rotina de medicação. Muitos profissionais acreditam que o tratamento de TDAH com medicação é como tratar a depressão, ansiedade e qualquer outra condição que surge no cérebro.

5 abordagens criativas
1. Faça você
Muitos alunos com TDAH respondem melhor a aprendizagem “prática”: muitas vezes é melhor “fazer” em vez de “contar”. Manipular pelas, digitar em um computador, fazer desenhos para um livro da aula, estudar ciências em um laboratório, participar de feiras ou ainda ser “professor por um dia”, essas atividades auxiliam a construir e desenvolver a confiança. Porém é importante ressaltar que nem todos os alunos com TDAH respondem bem a este método. Deve-se envolver cada aluno na modalidade que mais se afina a eles.

2. Varie a rotina
Se sabemos que os alunos com TDAH estão sempre em busca de algo novo, por que não usar isso a seu favor? Torne a “leitura” um pouco mais curta e faça com que os alunos variem as atividades. Embora seja importante manter a organização para os alunos com TDAH, mudar a rotina de vez em quando ajuda a evitar o tédio. Incentivar estes alunos a pegarem atividades extracurriculares também pode ser útil, uma vez que permite que eles se concentrem em suas paixões e realizem diferentes tarefas ao longo do dia.

14897311321_69cf13c1b9_o
Mudar a rotina pode ser o primeiro passo.

3. Coloque alguns movimentos nos seus planos de aula
Há muitas maneiras criativas de incorporar o movimento em sala de aula. Ao revisar questões para um próximo teste, experimente jogar uma bola para os alunos que deseja chamar em vez de chama-los pelo nome. Interpretar grandes cenas da história fará com que os fatos e as datas “sejam gravados” mais profundamente pelos alunos, assim como atuar e “sonorizar” alguns personagens ajudam quando você estiver ensinando uma turma a ler. E nunca subestime o quão divertido pode ser simplesmente sair da mesa, se esticar e dançar um pouquinho!

4. Ensinar Mindfulness – A atenção plena
Mindfulness ensinado em sala de aula está se tornando uma técnica cada vez mais popular, e que pode ser particularmente útil para os alunos com TDAH. Exercitar a atenção plena e a dedicação ao que se está fazendo no momento ajuda o estudante a saber quando é hora de parar por um momento e refletir sobre o que você disse previamente.

5. Crie um programa de tutoria ou mentoring
Todos os estudantes merecem atenção individual e personalizada, mas os alunos com TDAH precisam de atenção extra no desenvolvimento de suas ferramentas e estratégias para aprender em sala de aula. Turmas menores seriam ideais, mas um programa de tutoria ou mentoring também é bastante útil para a escola. Com uma atenção direcionada, os alunos com TDAH terão alguém para auxiliar em seu progresso e, ao mesmo tempo ajudando-os a desenvolver as qualificações de que necessitam para atuarem bem a escola e fora dela.

O Veredicto
Os alunos com TDAH são muito inteligentes e possuem grande potencial se receberem os recursos de que precisam para prosperar. Isso pode significar medicação, mas também significa trabalhar duro para encontrar o ensino personalizado e as estratégias comportamentais necessárias. No final, só uma abordagem diferenciada e multifacetada irá revelar-se eficaz, ainda mais se essas abordagens contarem com uma rede de apoio diversificada.

Fonte: http://www.edudemic.com/5-ways-to-help-students-adhd/